N. 5 (2004): A luz.

					Ver N. 5 (2004): A luz.
O que há de tão comum entre os homens e arquitectura, entre o dia-a-dia da buliciosa vida humana e a serena quietude da arquitectura em silêncio, ancorada na terra? – A LUZ. Sem ela, nem a humanidade nem a Arquitectura, enquanto Arte, poderiam sobreviver, sem ela não não se deixavam ver, nunca atingiriam a plenitude da sua essência e da sua…beleza. É na sua ausência, que mais sentimos a sua incontornável presença. A LUZ, é uma energia vital para a Arquitectura, matéria disponível que se molda A LUZ com o tempo. A LUZ é fonte de constante mudança – muda de intensidade, de cor, de temperatura, ao longo do dia, ao longo do lento desfilar das estações do ano e, com essa mudança, permite revelar uma sublime variedade no modo como vemos e sentimos a arquitectura.
Publicado: 2014-10-28
ISSN: 0874-3207
e-ISSN: 2183-4032
Editora: Universidade Lusíada Editora

Editorial

Artigos