Características percebidas na vizinhança, fatores psicossociais e atividade física objetivamente avaliada em adolescentes.

Pedro Gomes, Andreia Pizarro, Margarida Pereira, Ana Cristina Seabra, Roseanne Autran, Maria Paula Santos

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estudar a associação entre características percebidas da área residencial e de fatores psicossociais na atividade física de adolescentes.A nossa amostra foi constituída por 124 alunos que frequentavam o 5º e o 6º anos de escolaridade numa escola pública do distrito do Porto (Portugal), com idades compreendidas entre os 9 e os 15 anos de idade (11,04±1,09), sendo 65 do sexo feminino e 59 do sexo masculino. Para a recolha de dados recorremos a dois instrumentos: (a) o acelerómetro Actigraph GT1M, que nos permitiu avaliar objetivamente os níveis de atividade física; e (b) um questionário que permitiu avaliar variáveis das características percebidas da área residencial, variáveis do suporte social, e ainda variáveis psicológicas. Para a análise estatística dos dados recorremos aos seguintes procedimentos: (a) correlação de Spearman; (b) teste não paramétrico de Mann-Whiney U; (c) teste não paramétrico do Qui-quadrado; e (d) regressão linear múltipla; Os nossos resultados sugerem-nos a existência de níveis de atividade física excessivamente baixos, em especial nas raparigas, e que, para as raparigas, o suporte social dos professores parece influenciar a atividade física avaliada objetivamente.Em conclusão, podemos dizer que a atividade física de adolescentes pode ser influenciada pelo suporte social e pela autoeficácia. Porém, esta influência parece fazer sentir-se de forma distinta em função do género, sendo que as raparigas parecem ser influenciáveis por um maior número de variáveis.

 

This study aims to describe associations of the perceived characteristics of residential area and psychosocial factors on teenagers’ physical activity.Our sample comprised of 124 students who attended the 5th and 6th school year in a public school of Porto’s district (Portugal), aged between 9 and 15 years old (11.04 ± 1.09), 65 female and 59 male. To collect data we used two instruments: (a) the Actigraph GT1M accelerometer, which allowed us to objectively assess physical activity levels; and (b) a self-report questionnaire elements from the perceived characteristics of residential area, social support variables, and even psychological variables. For statistical analysis we used the following procedures: (a) Spearman’s correlation; (b) nonparametric Mann-Whitney U test; (c) nonparametric Chi-square test; and (d) multiple linear regression.Our results suggest: the existence of low physical activity levels, especially on girls; that, for girls, social support from teachers seems to influence the objectively measured physical activity variables.In conclusion we may say that teenagers’ physical activity may be influenced by the social support and by self-efficacy. However, this influence seems to be different by gender, meaning that girls seem to be influenced by a larger number of variables.

 

Palavras-chave / Keywords

Determinantes, Ambiente físico, Suporte social, Acelarómetro, Jovem.

Determinants, Physical environment, Social support, Accelerometer, Teenager.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt