Sexualidade na deficiência intelectual e a importância da educação sexual: estudo de caso

Autores

  • Inês Isabel Serrano Faustino
  • António Martins Fernandes Rebelo

Resumo

O presente trabalho pretende abordar o tema da sexualidade junto da população com deficiência intelectual, enaltecer a importância da existência da educação sexual, bem como a possibilidade desta população possuir aprendizagens neste âmbito. Pretende então, dar seguimento a uma visão não estigmatizante desta população e proporcionar a vivência de uma sexualidade saudável e informada. Neste sentido, trata-se de um estudo qualitativo em profundidade em que foram realizadas ações de sensibilização a 14 jovens da Fundação LIGA com o intuito da transmissão de conhecimentos relacionados com diversas dimensões que compõem a sexualidade. Foram utilizados um questionário de avaliação de conhecimentos e uma entrevista previamente à realização das ações de sensibilização, tendo a aplicação destes instrumentos sido repetida após a realização das mesmas. Os resultados encontrados foram positivos para todas as 7 dimensões da sexualidade abordadas, sendo que, na maioria dos casos, o nível de informação aumentou de forma significativa e inquestionável. O grupo de estudo demonstra uma capacidade de aprendizagem de temas específicos da sexualidade e a necessidade de continuação deste trabalho futuramente.

Palavras-chave:

Estudo de caso, Deficiência intelectual, Sexualidade, Educação sexual

Biografias Autor

Inês Isabel Serrano Faustino

  • Fundação LIGA

António Martins Fernandes Rebelo

  • Fundação LIGA
  • Universidade Lusíada de Lisboa

Referências

Aderemi, T.J., Pillay, B.J., & Esterhuizen, T.M. (2013). Differences in HIV knowledge and sexual practices of learners with intelectual disabilities and non-disabled learners in Nigeria. Journal of the International AIDS Society, 16, 1-9.

Alferes, V.R. (1999). Escala de atitudes sexuais. In M.R. Simões, M.M. Gonçalves & L.A.

Almeida (Eds.), Testes e provas psicológicas em Portugal (pp. 131-148). Braga: SHO/APPORT.

American Psychiatric Association – APA. (2014). Manual diagnóstico e estatístico das perturbações mentais - DSM-5 (5.ª ed). Lisboa: Climepsi editores.

Bastos, O.M., & Deslandes S.F. (2012). Sexualidade e deficiência intelectual: narrativas de pais de adolescentes. Physis Revista de Saúde Coletiva, 22, 1031-1046.

Bhering, E., & Sarkis, A. (2009). Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bordignon, N.A. (2007). O desenvolvimento psicossocial do jovem adulto em Erik Erikson. Revista Lasallista de Investigación, 4, 7-16.

Bronfenbrenner: implicações para as pesquisas na área da educação infantil. Horizontes, 27, 7-20.

Canha, L.N., & Neves, S.M. (2008). Promoção de competências pessoais e sociais: desenvolvimento de um modelo adaptado a crianças e jovens com deficiência: manual prático. Lisboa: Instituto Nacional de Reabilitação.

Carvalho, C.P., Pinheiro, M.R.M., Gouveia, J.P., & Vilar, D.R. (2017). Conhecimentos sobre sexualidade: construção e validação de um instrumento de avaliação para adolescentes em contexto escolar. Revista Portuguesa de Educação, 30, 248-274.

Coelho, L., & Pisoni, S. (2012). Vygotsky: sua teoria e a influência na educação. Revista e PED, 2, 144-152.

Cuskelly, M., & Gilmore, L. (2007). Attitudes to sexuality questionnaire (individuals with disability): scale development and community norms. Journal of Intellectual & Developmental Disability, 32, 214-221.

DelCampo, R.L., & DelCampo, D.S. (1998). Contraceptive knowledge inventory. In C.M.

Davis, W.L. Yarber, R. Bauserman, G. Schreer & S.L. Davis (Eds), Handbook of Sexuality-Related Measures (pp. 153-155). Thousands Oaks: SAGE Publications.

Direção Geral de Educação (2013). Manual de boas práticas adoles(ser). Disponível em: http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Esaude/guia_adoles_ser.pdf

Ferreira, A.M., Lapa, A.C., Marques, A.M., Forreta, F., Neves, A., Rodrigues, C., … Nunes, V. (2009). Ser +: programa de desenvolvimento pessoal e social para crianças, jovens e adultos portadores de deficiência mental. Lisboa: Associação para o planeamento em família.

Garcia, W.P. (2012). Apontamentos e reflexões sobre a sexualidade da pessoa com deficiência intelectual. Psicologia Argumento,30, 149-160.

Gesser, M., & Nuernberg, A.H. (2014). Psicologia, sexualidade e deficiência: novas perspetivas em direitos humanos. Psicologia: Ciência e Profissão, 34, 850-863.

Gil-Llario, M.D., Morell-Mengual, V., Ballester-Arnal, R., & Díaz-Rodriguez, I. (2018). The experience of sexuality in adults with intelectual disability. Journal of Intellectual.

Gürol, A., Polat, S., & Oran, T. (2014). Views of mothers having children with intellectual disability regarding sexual education: a qualitative study. Sex Disabil, 32, 123-133.

Higgins, D. (2010). Sexuality, human rights and safety for people with disabilities: the challenge of intersecting identities. Sexual and Relationship Therapy, 25, 245-257.

Kijak, R. (2013). The sexuality of adults with intellectual disability in poland. Sex Disability, 31, 109-123.

Lança, C. (2009). O sexo dos anjos ou os anjos sem sexo. Águeda: CERCIAG.

Lima, L.D., Barbosa, Z.C.L., & Peixoto, S.P.L. (2018). Teoria humanista: Carl Rogers e a educação. Cardernos de Graduação, 4, 161-172.

Maia, A.C.B., & Camossa, D.A. (2003). Relatos de jovens deficientes mentais sobre a sexualidade através de diferentes estratégias. Paídéia, 12, 205-214.

Maia, A.C.B., & Ribeiro, P.R.M. (2010). Desfazendo mitos para minimizar o preconceito sobre a sexualidade de pessoas com deficiência. Revista Brasileira, 16, 159-176.

Maia, A.L.M.M., Medeiros, I., & Ferreira, D.G. (2018). Sexualidade: uma nova área de conhecimento. Saúde & Conhecimento, 2, 18-22.

Maia, B., & Cláudia, A. (2016). Vivência da sexualidade a partir do relato de pessoas com deficiência intelectual. Psicologia em Estudo, 21, 77-88.

McDaniels, B., & Fleming, A. (2016). Sexuality education and intellectual disability: time to adress the challenge. Sex Disability, 34, 215-225.

Milian, Q.G., Alves, R.J.R., Wechsler, S.M., & Nakano, T.C. (2013). Deficiência intelectual: doze anos de publicações na base scielo. Revista de Psicopedagogia, 30, 64-73.

Monat, R.K. (1982). Sexuality and the Mentally Retarded. San Diego: College-Hill Press.

Ramiro, L., Reis, M., Matos, M.G., Diniz, J.A., & Simões, C. (2011). Educação sexual, conhecimentos, crenças, atitudes e comportamentos dos adolescentes. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 29, 11-21.

Sankhla, D., & Theodore, K. (2015). British attitudes towards sexuality in men and women with intellectual disabilities: a comparison between white westerners and south asians. Springer, 33, 429-445.

Schaafsma, D., Kok, G., Stoffelen, J.M.T., & Curfs, L.M. (2015). Identifying effective methods for teaching sex education to individuals with intellectual disabilities: a systematic review. Journal of Sex Research, 52, 412-432.

Siebelink, E.M., Jong, M.D.T., Taal, & Roelvink, L. (2006). Sexuality and people with intellectual disabilities: assessment of knowledge, attitudes, experiences and needs. Mental Retardation, 44, 283-294.

Simões, J. (2015). Deficiência intelectual, gênero e sexualidade: algumas notas etnográficas em uma APAE do interior do estado de são paulo- brasil. Revista da Faculdade Medicina, 63,143-148.

Stoffelen, J.M.T., Herps, M.A., Buntinx, W.H.E., Schaafsma, D., Kok, G., & Curfs, L.M.G. (2017). Sexuality and individual support plans for people with intelectual disabilities. Journal of Intellectual Disability Research, 61, 1117-1129.

Stoffelen, J.M.T., Schaafsma, D., Kok, G., & Curfs, L.M.G. (2018). Women who love: an explorative study on experiences of lesbian and bisexual women with a mild intellectual disability in The Netherlands. Springer, 36, 249-264.

Publicado

2021-08-27

Como Citar

Serrano Faustino, I. I., & Fernandes Rebelo, A. M. (2021). Sexualidade na deficiência intelectual e a importância da educação sexual: estudo de caso. Revista De Psicologia Da Criança E Do Adolescente, 11(1), 111–130. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/rpca/article/view/2927

Edição

Secção

Artigos