Consumo de álcool nos jovens: a importância dos programas de prevenção no atraso da experimentação = Alcohol consumption in young people: The importance of prevention programs in delaying experimentation

Sónia Ferreira, Lídia Moutinho, Joana Teixeira

Resumo


O consumo de álcool dos jovens em Portugal, tal como na maioria dos países europeus, aumenta progressivamente com a idade, sendo que a idade de início é por volta dos 12 anos. Estes dados alertam para os perigos do consumo no desenvolvimento da criança/jovem, principalmente pelo facto do sistema biológico não estar totalmente preparado para proceder à degradação do álcool, o que vai desencadear danos significativos a nível neurocognitivo, tais como dificuldades de aprendizagem e alterações no funcionamento intelectual. Para além disso, o consumo nestas idades aumenta a probabilidade de serem desenvolvidos maiores comportamentos de risco, aumentando a probabilidade de desenvolver dependência. Desta forma, procedeu-se a um estudo descritivo, com 131 alunos, do 3º Ciclo, de uma escola de Lisboa, de modo a conhecer-se o padrão de consumo destes jovens, recorrendo à aplicação do AUDIT- C. A média de idades dos participantes foi de 14,7 anos. 72,3% da amostra experimentos bebidas alcoólicas antes dos 13 anos. Os resultados apontam para um consumo de binge drinking em cerca de 16,5%, pelo menos uma vez por mês (3,1%), bem como maiores comportamentos de risco, no sexo feminino. Torna-se, assim, pertinente desenvolver acções de educação para a saúde, no sentido de prevenir o início e o desenvolvimento destes comportamentos, em idades mais precoces, iniciando-se no 1º ciclo, sendo que as estratégias a adotar devem ser adaptadas a cada faixa etária.


Alcohol consumption by young people in Portugal, as in most European countries, increases progressively with age, with the starting age is on average around 12 years. These data expresses the dangers of consumption in child/youth, mainly because the biological system is not fully prepared for alcohol degradation. This will trigger significant neurocognitive impairment such as learning difficulties and intellectual functioning. In addition, consumption at these ages increases the likelihood of risk behaviors and therefore the likelihood of developing dependency. Thus, a descriptive study was carried out with 131 students from the 3rd cycle of studies of a school in Lisbon, in order to describe the consumption pattern of these youngsters, using the AUDIT-C method. The average age of participants was 14.7 years. 72.3% of the sample tries out alcoholic beverages before 13 years. The results demonstrate a consumption of Binge Drinking of about 16.5% for at least once a month (3.1%), as well as higher risk behaviors in females. It is therefore pertinent to develop health education efforts in order to prevent the beginning and development of these behaviors at a younger age, starting in the 1st cycle of studies and having in mind the strategies to adopt should differ according to the range age.


Palavras-chave / Keywords:

Jovens, Álcool, Experimentação.

Young people, Alcohol, Experimentation.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt