Internamentos pediátricos por doenças respiratórias e tabagismo dos pais: um estudo de prevalência = Pediatric hospitalizations for respiratory diseases and parental smoking: A cross-sectional study

Mário André Macedo

Resumo


A nível mundial, a exposição ao fumo passivo (EFP) é responsável por 600 mil mortes, dos quais cerca de 200 mil ocorrem na idade pediátrica. Esta exposição, na idade pediátrica, está associada a maior incidência de doença respiratória, otites, síndrome de morte súbita e lesões traumáticas. Este trabalho teve como objetivo principal explorar a relação dos hábitos tabágicos dos pais com número e tempo de internamento pediátrico por doenças respiratórias. Foi realizado um estudo do tipo observacional, retrospetivo de correlação, tendo como base todos os episódios de internamento por doença respiratória pediátrica, 2161 casos, no período 2012-2016. Foi realizado o teste-t student para aferir a significância estatística das médias. Foi obtida uma prevalência de 22,3% de consumo de tabaco nos pais internados, sendo de 14,3% para as mães e de 30,3% para os pais. Evidencia-se uma relação com a escolaridade, mas sem relação para a situação face ao trabalho. Filhos de pais fumadores têm um maior número de internamentos, mas ficam em média o mesmo período de tempo internados por episódio. Filhos de dois pais fumadores têm um maior número de internamentos que ter apenas um pai fumador. Os resultados obtidos demonstram que a EFP permanece um problema atual e deve ser encarado como uma prioridade de saúde pública. Devem ser equacionados programas de cessação tabágica dirigidos aos pais, iniciados num contexto de internamento pediátrico, que incluam medidas para limitar a exposição ao fumo passivo.


Globally, exposure to second-hand smoke is responsible for 600,000 deaths, of which around 200,000 occur in the pediatric age. This exposure, at pediatric age, is associated with a higher incidence of respiratory disease, otitis, sudden death syndrome and traumatic injuries. The main purpose of this study was to explore the relationship between parents’ smoking habits and the number and time of hospitalization due to respiratory diseases. An observational, retrospective correlation study was performed, based on all episodes of hospitalization for pediatric respiratory disease, 2161 cases, in the period 2012-2016. Student’s t test was used to measure the statistical significance. A prevalence of 22.3% of tobacco consumption was obtained in hospitalized parents, 14.3% for the mothers and 30.3% for the fathers. There is evidence of a relationship with education, but no relation to employment status. Children of smoking parents have a higher number of hospitalizations but stay on average the same length of time hospitalized per episode. Children of two smoking parents have a higher number of hospitalizations than having only one parent smoker. The results show that second-hand smoke remains a current problem and should be seen as a public health priority. Parental smoking cessation programs initiated in the context of pediatric hospitalization, including measures to limit exposure to second-hand smoke, should be considered.

Palavras-chave / Keywords:

Poluição por fumo do tabaco, Pediatria, Doenças respiratórias, Determinantes sociais da saúde.

Tobacco smoke pollution, Paediatrics, Respiratory tract diseases, Social determinants of health.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt