A alienação social e o seu impacto no bem-estar dos adolescentes portugueses

Gina Tomé, Tânia Gaspar Sintra dos Santos, Cátia Branquinho, Maria Letícia Oliveira, Margarida Gaspar de Matos

Resumo


O objetivo do presente estudo foi analisar o impacto da alienação nos sentimentos de pertença a um grupo, relação com os amigos e bem-estar dos adolescentes portugueses. Participaram no estudo 5695 adolescentes portugueses, com média de idades de 15,46 anos (DP=1,80), que frequentavam o 8º,10º e 12º ano de escolaridade em Portugal continental, no âmbito do estudo do Health Behaviour in School aged Children (HBSC). Foram realizados dois modelos de path análise, um para o grupo de adolescentes mais resiliente e um para o grupo menos resiliente, onde se verificou que o impacto negativo da alienação social no bem-estar dos adolescentes foi maior no grupo menos resiliente. A relação com os amigos surge associada a menos alienação social, assim como os sentimentos de pertença a um grupo, em ambos os grupos de resiliência, no entanto no grupo menos resiliente o impacto dos sentimentos de pertença diminui enquanto o impacto da relação com os amigos aumenta. O impacto negativo da alienação social no bem-estar dos adolescentes é evidente e torna-se essencial promover competências que previnam essas consequências e promovam o bem-estar dos adolescentes. A resiliência surge como um fator de proteção para as consequências negativas da alienação social. Os resultados apresentados reforçam a necessidade de implementar entre os adolescentes programas que promovam as suas competências pessoais e sociais com enfase na resiliência.


The aim of this study was to analyse the social alienation impact on the feelings of belonging to a group, friends’ relationships and wellbeing of Portuguese adolescents. Methods: A total of 5695 Portuguese adolescents with a mean age of 15.46 (SD=1.80), attending the 8th, 10th and 12th years of schooling in mainland Portugal were included in the Health Behaviour in School-aged Children (HBSC) study. Two models of path analysis were executed, one for the more resilient group of adolescents and one for the less resilient group, where it was found that the negative impact of social alienation on adolescents’ wellbeing was greater in the less resilient group. The friend’s relationship appears associated with less social alienation, as well as the feelings of belonging to a group, in both groups of resilience, nevertheless in the less resilient group the impact of the feelings of belonging reduces while the impact of the relation with the friends increases. The negative impact of social alienation on the wellbeing of adolescents is evident and it is essential to promote skills that prevent these consequences and promote the well-being of adolescents. Resilience emerges as a protective factor for the negative consequences of social alienation. Presented results strengthen the need to implement among adolescents’ programs that promote their personal and social skills with emphasis on resilience.


Palavras-chave / Keywords

Alienação social, Bem-estar, Resiliência.

Social alienation, Wellbeing, Resilience.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt