A prática da intersetorialidade como promoção e prevenção de saúde nas escolas: um relato de experiência em São Luís do Maranhão – Brasil

Autores

  • Ana Catarina Muniz Pereira

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo expor os resultados obtidos durante a experiência de estágio supervisionado específico em processos de prevenção e promoção da saúde do curso de Psicologia da Universidade Ceuma – São Luis, Maranhão, Brasil, realizado na Unidade de Ensino Básico Olinda Desterro, entre os meses de março e junho de 2016. As atividades metodologicas foram desenvolvidas em quatro momentos: Reunião com equipe pedagógica com o objetivo de melhor compreender os recursos pedagógicos utilizados na interação aluno-aluno e professor-aluno e quais as problemáticas e queixas envolvendo essas relações/ Reunião com o líderes de turmas/ Visitas em instituições de Redes de Apoio da escola para conhecer os trabalhos oferecidos com possibilidade de construir uma parceria com a escola/ Palestras sobre violência e promoção de saúde aos alunos. Alunos e professores insatisfeitos com os poucos recursos financeiros, pedagógicos e estruturais oferecidos pela escola, a qual trata-se de uma instituição isolada, pois não é assistida por nenhuma Rede de Apoio, tais como CRAS, CREAS e Conselho Tutelar. A UEB Olinda Desterro não é assistida por nenhuma política pública de assistência, tem um histórico de casos de violência física ou verbal entre aluno-aluno e professor-aluno e carece de recursos financeiros/estruturais e pedagógicos que deveriam ser oferecidos pelo estado.

Palavras-chave:

Escola, Saúde, Intersetorialidade

Downloads

Publicado

2018-11-29

Como Citar

Pereira, A. C. M. (2018). A prática da intersetorialidade como promoção e prevenção de saúde nas escolas: um relato de experiência em São Luís do Maranhão – Brasil. Revista De Psicologia Da Criança E Do Adolescente, 8(2), 67–80. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/rpca/article/view/2578

Edição

Secção

Artigos