Importância e desafios do trabalho em rede entre a escola e um serviço de saúde mental infantojuvenil brasileiro | Importance and challenges of networking between the school and a brazilian juvenile mental health service

Katy Lopes Duarte, Eloísa Mello de Souza, Luna Rodrigues

Resumo


No Brasil, em meados de 1970 se acentuaram as discussões em torno da necessidade de mudanças no modelo assistencial oferecido aos portadores de doença mental, submetidos até então à hospitalização e ao asilamento. Uma questão pertinente ao movimento da Reforma Psiquiátrica Brasileira era a lacuna apresentada na assistência de crianças e adolescentes. Com o objetivo de superar esta delegação silenciosa e os problemas assistenciais que lhe eram inerentes, foi elaborada uma política de saúde mental para infância e adolescência, integrada à política geral de saúde mental do SUS. O presente estudo tem como objetivo descrever e analisar a articulação que o Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil de Paracambi realiza com as escolas que lhe enviam demandas, a partir da perspectiva de profissionais que atuam na área da saúde mental. Estudo exploratório de natureza qualitativa é um recorte de uma pesquisa maior da qual participaram 14 profissionais do CAPSi. Por meio dos resultados foi possível perceber que existem dificuldades na organização da rede, explicitando o quanto é complexa a articulação entre os diversos dispositivos que atendem ao público infantojuvenil. Contudo, a escola é percebida como um dispositivo de grande importância, pois além de ser responsável por boa parte dos encaminhamentos ao serviço, é um lugar de (des)construção. O serviço realiza não só ações específicas voltadas para os casos atendidos, mas investe em um movimento de desconstrução de demandas, ou seja, de crítica aos processos de medicalização e patologização da infância. Os resultados encontrados corroboram a literatura consultada, apontando a necessidade urgente de articulação e aprimoramento do diálogo entre os dispositivos, mas também evidenciam as diversas possibilidades de ação e apresentam efeitos interessantes do trabalho já realizado.


In Brazil, in mid-1970, discussions around the need for changes in the assistance offered to people with mental illness were stressed. The assistance was made only by hospitalization. A pertinent question to the Brazilian psychiatric reform movement was the gap presented on assistance to children and adolescents. In order to overcome this silent delegation, a mental health policy for children and adolescents was created, integrated into the general policy on Brazilian mental health. The present study aims to describe and analyze the articulation between the Center of Psychossocial Attention on Children and Adolescent of Paracambi, Brazil, and the schools that refer demands, from the perspective of mental health professionals. It is an exploratory study of qualitative nature, extracted from a larger research attended by 14 professionals. The result shows difficulties in organizing the network, explaining how complex is the articulation between the various devices that attend children and adolescents. However, the school is perceived as a device of great importance, as in addition to being responsible for most of the referrals to the service, it is a place of (de) construction. The service performs not only specific actions geared to the cases attended, but invests in a deconstruction of demands as a critic to the processes of childhood medicalization. The results corroborated the consulted literature, pointing out the urgent need for articulation and improved dialogue between mental services and schools, but also highlighted the various possibilities of action and featured interesting effects already performed.


Palavras-chave / Key-words

Intersetorialidade, Rede, Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil, Escola.

Intersectoral approach, Network, Center for psychosocial attention for children and adolescents, School.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt