Fatores que contribuem para a formação de uma personalidade psicopática em crianças e adolescentes: uma análise neurológica e social

Autores

  • Michelle Popenga Geraim Monteiro

Resumo

Este artigo tem como objetivo abordar as possíveis influências biológicas e sociais na formação do Transtorno de Personalidade Antissocial (TPAS) em crianças e adolescentes, promovendo uma discussão entre a psicanálise e a neurobiologia acerca dos fatores que levam ao desenvolvimento do mesmo. Ilustrar também os pontos importantes sobre o diagnóstico e o tratamento nos indivíduos que apresentam tal transtorno, tendo em vista que a neurobiologia leva em conta o fator genético que pode ser tratado com medicamentos para amenizar os sintomas, enquanto para a psicanálise, o transtorno faz parte da estrutura da personalidade do sujeito que se desenvolve em suas relações sociais. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica acerca do assunto para o seguinte estudo, partindo do ponto que atualmente vê-se crianças e adolescentes em um estado muito agressivo e dissimulado, em ambientes negligentes. Os resultados desta pesquisa apontam para um aprofundamento do tema, pois ainda é pouco explorado e muito complexo.

Palavras-chave:

Psicanálise, Neurobiologia, Criança e adolescente, Transtorno de personalidade antissocial

Downloads

Publicado

2017-07-14

Como Citar

Monteiro, M. P. G. (2017). Fatores que contribuem para a formação de uma personalidade psicopática em crianças e adolescentes: uma análise neurológica e social. Revista De Psicologia Da Criança E Do Adolescente, 7(1-2), 365–376. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/rpca/article/view/2419

Edição

Secção

2 Parte | Volume 7 - Número 2