“A história não tem de ser o destino” : o risco psicossocial em crianças com famílias disfuncionais

Susana Ferreira da Costa, Sandra Teixeira

Resumo


Na nossa experiência num Serviço de Psiquiatria e de Saúde Mental da Infância e da Adolescência confrontamo-nos com crianças e adolescentes com comportamentos de auto e hetero-agressividade, impulsividade, bullying, furtos, consumos de álcool e drogas, que têm um grande impacto nas suas vivências, na família, na escola e na comunidade. Estes comportamentos devem ser entendidos como uma forma de expressão do sofrimento psíquico.

Ao procurarmos compreender as histórias familiares destas crianças e adolescentes encontramos padrões transgeracionais que se repetem, como negligência, abandono, abusos emocionais, físicos e sexuais, perdas, disfunção familiar e incapacidade de contenção e protecção. Muitas destas crianças pretendem com estes comportamentos recuperarem o objecto amado, numa procura de limites, que lhes permitam uma maior reorganização interna, um sentimento de contenção e de protecção.

É necessária uma intervenção atempada e adequada para que estas crianças e adolescentes não corram o risco de virem a desenvolver comportamentos antisociais. Uma vez que nem todas as famílias demonstram competências como cuidadoras de crianças e adolescentes em situações de risco, é fundamental desenvolver apoios parentais na comunidade. Logo, é essencial uma intervenção multidisciplinar que abranja as diversas valências nomeadamente a saúde mental e intervenção social, pedagógica e jurídica.

À luz destas reflexões teóricas iremos ilustrar com algumas vinhetas da nossa experiência clínica.


Due to our experience in a Psychiatric and Mental Health Service for Children and Adolescents we are often faced with children and adolescents with self and hetero-aggressiveness, impulsivity, bullying, theft, consumption of alcohol and drugs which have a great impact on their experiences, on their families, at school and in the community. These behaviours should be understood as an expression of psychic suffering. 

When we attempt to understand the familiar stories of these children and adolescents we can found transgenerational patterns that are repeated, as neglect, abandonment, emotional, physical and sexual abuse, loss, family dysfunction and failure of containment and protection. What many of these children are looking for with these behaviours is to recover the object beloved, in a demand for boundaries that might enable them to obtain a greater internal reorganization, a sense of restraint and protection.

With timely and adequate intervention these children and adolescents might not run the risk of developing anti-social behaviours. Knowing that not all families demonstrate skills as carers of children and adolescents in situations of risk, it is important to develop parental support in the community. Thus it becomes essential to undertake a multidisciplinary intervention covering the various valences namely mental health and social, legal and educational assistance. We will illustrate these theoretical reflections with some vignettes from our clinical experience.


Palavras-chave / Keywords

Criança, Adolescente, Risco, Padrões transgeracionais, Intervenção e prevenção.

Adolescent, Children, Risk, Transgenerational, Prevention and intervention.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt