Maus-tratos infantojuvenis em notícia

Carla Fernandes, Inês Garcia, Neuza Francisco, Sofia Mendonça, Esperança Jales Ribeiro, Leandra Cordeiro

Resumo


A publicação de casos de maus-tratos na infância e juventude pelos media é atualmente essencial para a influência e o debate social sobre as crianças e jovens, incentivando a uma mobilização, sensibilização e consciencialização da sociedade. Este estudo visa essencialmente reconhecer variáveis comuns na mediatização de notícias acerca desta temática. A metodologia utilizada teve por base uma análise/revisão detalhada e criteriosa, de 100 notícias, de Jornais Nacionais (semanários, diários) no período de 2003 a 2015. Conclui-se, através desta análise, que a seleção de uma notícia não é aleatória pois, na mediatização, existe um conjunto de variáveis que se sobrepõem a outras. Ou seja é possível identificar um conjunto de denominadores comuns que se repetem ao longo das manchetes tais como: são vítimas do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 6 e os 9 anos e agressores do sexo masculino entre os 20 e os 35 anos. A tipologia de maltrato físico é a mais expressiva. Relativamente ao agressor, verificou-se que o grupo de funcionários afetos a uma instituição/ associação são quem mais mal trata. Numa análise comparativa com os resultados constantes nos Relatórios Anuais de Avaliação de Atividade das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens, no limite temporal entre 2013 e 2014, é possível, de facto, constatar que a informação do ponto de vista dos indicadores trabalhados não coincide com os obtidos. Na maior parte das vezes as variáveis encontradas na presente investigação são objeto de uma maior exploração e divulgação por parte da Comunicação Social porque invariavelmente suscitam maior polémica e debate público.


The widespread exposure of youth and childhood maltreatment cases by the media is essential nowadays to influence the social debate about children and youth, leading to a mobilization, sensitivity and awareness of society. This study aims to recognize common variables in mediatizing news about this topic. The methodology consisted in a detailed analysis/review, of 100-paper news, of national newspapers, from 2003 to 2015. The conclusion is that the selection of an event is not random, since in mediatizing there is a group of variables that has greater relevance then others. So it is easy to identify a cluster of common denominators that repeat themselves across headlines news: these are female victims with ages between 6 and 9 years old and the aggressors are males with ages between 20 and 35 years old. The typology of physical maltreatment is the more expressive. Relatively to the aggressor, it was verified that the group of workers belonging to an institution/ association are those that maltreat the most. In a comparative analysis with the results in Youth and Children Protection Commissions Activity Evaluation Annual Reports between 2003 and 2014 it is possible to check that the information from the standpoint of the indicators does not match the obtained results. Most of the time, the variable in the investigation are object of a higher exploration and wide spreading on behalf of social communication because invariably they generate more controversy and public debate.


Palavras-chave / Keywords

Maus-tratos, Crianças/jovens, Fatores de risco, Notícias.

Mistreatment, Children/young, Risk factors, News.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt