Delinquência juvenil: um estudo comparativo de rapazes institucionalizados

Autores

  • Pedro Fernandes dos Santos Pechorro
  • João Paulo Maroco Domingos
  • Rui Manuel Xavier Vieira
  • João Pedro Teixeira Godinho de Oliveira
  • Rui João Abrunhosa de Carvalho Gonçalves

Resumo

A presente investigação teve como objetivo analisar o papel desempenhado na delinquência juvenil pelos constructos de traços psicopáticos, problemas de comportamento, comportamentos delinquentes e autoestima. Recorrendo a uma amostra total de 543 jovens do sexo masculino, subdividida em amostra forense (n = 221; M = 15.86 anos; DP = 1.31 anos; amplitude = 13-20 anos) e em amostra escolar (n = 322; M = 16.03 anos; DP = 1.62 anos; amplitude = 12-20 anos), os resultados indicaram que os jovens da amostra forense apresentam valores significativamente mais elevados em traços psicopáticos, problemas de comportamento, comportamentos delinquentes, além de valores mais baixos em autoestima. Um modelo de regressão logística binária apoiou a importância destas variáveis na predição de pertença dos jovens às amostras forense e escolar.

Palavras-chave:

Delinquência juvenil, Traços psicopáticos, Problemas de comportamento, Autoestima

Downloads

Publicado

2016-03-08

Como Citar

Pechorro, P. F. dos S., Domingos, J. P. M., Vieira, R. M. X., Oliveira, J. P. T. G. de, & Gonçalves, R. J. A. de C. (2016). Delinquência juvenil: um estudo comparativo de rapazes institucionalizados. Revista De Psicologia Da Criança E Do Adolescente, 6(2), 59–75. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/rpca/article/view/2278