A comunicação familiar e o desenvolvimento da memória autobiográfica de pré-adolescentes

Autores

  • Lídia Suzana Rocha de Macedo
  • Tania Mara Sperb

Resumo

Este estudo investiga a influência do hábito familiar de conversar sobre experiências pessoais no desenvolvimento da memória autobiográfica em 25 pré-adolescentes (11-13 anos). Pais e pré-adolescentes responderam um questionário sobre comunicação familiar, concebido para a pesquisa. Conforme as informações obtidas nesses questionários formaram-se dois grupos: um grupo de pré-adolescentes (n = 18) com o hábito familiar de conversar sobre experiências pessoais e outro grupo de pré-adolescentes (n = 7) que não tinha esse hábito. Foram coletadas individualmente narrativas autobiográficas dos pré-adolescentes. As narrativas autobiográficas dos dois grupos foram comparadas em relação aos níveis de especificidade da memória autobiográfica: períodos de vida, eventos gerais e eventos de um dia. Os resultados mostraram que o grupo com o hábito familiar de conversação, em comparação com o grupo sem este hábito, selecionou experiências mais self-relevantes, utilizou uma percentagem maior de recordações de eventos gerais e buscou encaixar as narrativas dos eventos mais significativos em contextos mais amplos. Estes resultados corroboram resultados de pesquisas anteriores que destacam o papel do hábito familiar de conversar sobre experiências pessoais durante os anos pré-escolares no desenvolvimento da memória autobiográfica. O grupo de pré-adolescentes que têm esse hábito usou com maior frequência níveis de especificidade da memória que exigem mais reflexão para contextualizar a experiência em relação a si mesmos e à totalidade de suas experiências.

Palavras-chave:

Narrativa autobiográfica, Memória autobiográfica, Pré-adolescente

Downloads

Publicado

2015-01-30

Como Citar

Macedo, L. S. R. de, & Sperb, T. M. (2015). A comunicação familiar e o desenvolvimento da memória autobiográfica de pré-adolescentes. Revista De Psicologia Da Criança E Do Adolescente, 6(1), 139–156. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/rpca/article/view/1977

Edição

Secção

Artigos