Inclusão de uma criança com autismo, pertencente à comunidade cigana, numa escola regular do concelho de Viana do Castelo

Autores

  • Daniela Alves Silva Miranda

Resumo

O presente estudo tem como principal objetivo verificar a inclusão de uma criança com autismo oriunda da comunidade cigana junto dos seus pares, tendo sido escolhidos pares pertencentes e não pertencentes à comunidade cigana.

O autismo é um distúrbio global do desenvolvimento que se manifesta através de dificuldades ocorridas em três domínios: interação social, linguagem e comunicação, pensamento e comportamento. Com a Declaração de Salamanca (1994) todas as crianças, independentemente das suas características, origens e cultura, passam a ter direito à educação, estando todas incluídas nas classes regulares. A cultura cigana tem como tradições culturais mais relevantes a família; o casamento; o luto pelos mortos; e a língua própria.

Utilizou-se uma metodologia qualitativa, tendo-se selecionado o estudo de caso como método de investigação. De forma a obter as informações que pretendidas, recorreu-se a análises documentais, observações e entrevistas. Os intervenientes principais deste estudo são a N. (criança com autismo) e os pares escolhidos para este estudo. Também estão envolvidos no estudo os pais da N. e os intervenientes em contexto escolar, nomeadamente as docentes de Educação Especial (EE), a Assistente Operacional e o Diretor de Turma.

Conclui-se que dos seis pares pertencentes à comunidade cigana, apenas três tentam garantir a inclusão da N., verificando-se esta preocupação apenas nos contextos informais (cantina e recreio) e os pares não pertencentes à comunidade cigana tentam garantir a inclusão da N. mais no contexto formal (sala de aula regular) que nos contextos informais.

Palavras-chave:

Autismo, Inclusão, Comunidade Cigana

Downloads

Publicado

2014-06-03

Como Citar

Miranda, D. A. S. (2014). Inclusão de uma criança com autismo, pertencente à comunidade cigana, numa escola regular do concelho de Viana do Castelo. Revista De Psicologia Da Criança E Do Adolescente, 5(1), 147–164. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/rpca/article/view/1133