Does age matter? Parental employment status influence on psychological well-being: findings from the national study of Portuguese schoolchildren

Autores

  • Diana Frasquilho
  • J.M. Caldas de Almeida
  • Tânia Gaspar Sintra dos Santos
  • Maria Margarida Nunes Gaspar de Matos

Resumo

Portugal enfrenta uma recessão económica sem precedentes e a maior taxa de desemprego alguma vez registada no país (18%). O emprego é um determinante fundamental do bem-estar e a principal fonte de rendimentos para a maioria das pessoas. Quando a perda de emprego atinge as famílias, o stresse psicossocial daí resultante pode influenciar o desenvolvimento saudável dos jovens. Este trabalho tem como objetivo explorar as diferenças relacionadas com a idade do bem-estar psicológico em relação ao estatuto de emprego dos pais numa amostra de 5050 adolescentes portugueses com idade média de 14 anos (DP = 1,85). Foram analisados os dados do estudo português Health Behaviour in School-aged Children (HBSC / OMS) e realizaram-se testes de qui-quadrado e modelos de regressão linear tendo em conta os diferentes estatutos de emprego dos pais e controlando género e idade. Os resultados indicam que a situação de emprego dos pais está associada ao bem-estar psicológico dos adolescentes e os efeitos diferem com a idade e o género dos pais. Ter ambos os pais sem emprego influencia negativamente o humor triste e irritado nos adolescentes com idade média de 14 anos. Ter o pai sem emprego está estatisticamente associado ao humor triste nos adolescentes mais jovens e nos de meia-idade (12 e 14 anos de idade) e à irritabilidade em todas as faixas etárias (12, 14 e 16 anos). Por último, ter a mãe sem emprego foi associado ao humor triste e irritado nos adolescentes de meia-idade (14 anos). Em conclusão, a associação existente entre a situação de emprego dos pais e o bem-estar psicológico dos adolescentes varia com a idade dos adolescentes e o género dos pais. Adolescentes de meia-idade referem frequências mais elevadas de mau-estar psicológico em relação à falta de emprego dos pais.

Palavras-chave:

Adolescência, Estatuto de emprego parental, Recessão, Saúde mental

Downloads

Publicado

2014-06-03

Como Citar

Frasquilho, D., Almeida, J. C. de, Santos, T. G. S. dos, & Matos, M. M. N. G. de. (2014). Does age matter? Parental employment status influence on psychological well-being: findings from the national study of Portuguese schoolchildren. Revista De Psicologia Da Criança E Do Adolescente, 5(1), 57–71. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/rpca/article/view/1125