Contributo das soluções de controlo solar para a sustentabilidade do edificado

Autores

  • Alberto Reaes Pinto Professor Catedrático da Faculdade de Arquitectura e Artes (FAA) da Universidade Lusíada de Lisboa (ULL) e Doutor em Arquitectura pela Universidade de Salford-UK.
  • Carlos Oliveira Mestre em Planeamento e Construção Sustentável pela Faculdade de Arquitectura e Artes da Universidade Lusíada de Lisboa. Membro do CITAD.

Resumo

O facto de a maioria do edificado ter sido concebido e construído sem ter tido em conta princípios do bioclimatismo, leva a que se detetem erros de conceção (p.e. implantação, orientação à exposição solar, área de envidraçados, etc.) de difícil resolução aposteriori e com sérias consequências ao nível da saúde humana, do conforto térmico, da eficiência energética e da pegada ecológica.

O tema desta comunicação diz respeito ao estudo de algumas soluções de sombreamento que possibilitem o controlo solar dos vãos envidraçados, permitindo obter ganhos solares e iluminação natural no Inverno, ao mesmo tempo que os doseia eficazmente no Verão, sem interferência significativa na aparência do edifício. Surge assim, este estudo, como um contributo para a divulgação de uma solução prática e tecnicamente justificada, orientada para complementar outras, já existentes, ou para a correção de anomalias indesejáveis, com consequências positivas ao nível do impacte ambiental, da qualidade do ar interior e do conforto térmico e visual dos ocupantes.

Da revisão bibliográfica efetuada, ressalta a conclusão que os sombreamentos interiores de vãos envidraçados a partir de tecidos metalizados permitem alcançar estes propósitos, estando alguns fabricantes alinhados com o paradigma da Sustentabilidade.

Palavras-chave:

Ar interior, Conforto térmico e visual, Controlo solar, Eficiência energética, Redução de emissões

Biografias Autor

Alberto Reaes Pinto, Professor Catedrático da Faculdade de Arquitectura e Artes (FAA) da Universidade Lusíada de Lisboa (ULL) e Doutor em Arquitectura pela Universidade de Salford-UK.

Professor Catedrático da Faculdade de Arquitetura e Artes (FAA) da Universidade Lusíada de Lisboa (ULL) e Doutor em Arquitetura pela Universidade de Salford-UK. É Coordenador do Centro de Investigação e Desenvolvimento, em Território, Arquitetura e Design (CITAD) das FAA da Universidade Lusíada. É Director da FAA da ULL. É Coordenador dos cursos de Mestrado em Planeamento e Construção Sustentável e da Pós-Graduação em Direção e Fiscalização de Obras da ULL. Foi docente do Curso de Arquitetura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Iniciou a atividade empresarial privada em 1964 na empresa de construção civil ICESA, onde desempenhou cargos de Direção e de Administração (1972-1989) e especializou-se na área da pré-fabricação pesada, na Société Fiorio, em Limoux, France, de 1964 a 1967. Foi eleito Académico Correspondente Nacional pela Academia Nacional de Belas Artes, em 1995. Foi eleito Presidente do Conselho Regional de Delegados do Sul da Ordem dos Arquitetos, no triénio 1999 a 2001. Foi coordenador dos cursos de Formação da Ordem dos Arquitetos, lançados em 2000. Foi nomeado pelo Conselho Nacional da Ordem dos Arquitetos, em 2001 para integrar a Comissão de Acreditação do Curso de Arquitetura, da Escola Superior Artística do Porto, e em 2002 para Presidente da Comissão de Acreditação do Curso de Arquitetura da Universidade do Minho.

Carlos Oliveira, Mestre em Planeamento e Construção Sustentável pela Faculdade de Arquitectura e Artes da Universidade Lusíada de Lisboa. Membro do CITAD.

Pós-graduado e Mestre em Planeamento e Construção Sustentável pela Faculdade de Arquitetura e Artes da Universidade Lusíada de Lisboa. Licenciado em Gestão pelo Instituto de Estudos Superiores Financeiros e Fiscais. Bacharel em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Integra desde 2007 o CITAD - Centro de Investigação em Território, Arquitetura e Design, da Universidade Lusíada de Lisboa, no contexto do projeto de investigação em Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) aplicada a materiais, produtos e edifícios. Nesse âmbito, tem sido convidado para Aulas, Seminários e Conferências, bem como participado, como orador, em Congressos relacionados com a Construção Sustentável. Profissionalmente, tem desempenhado funções de quadro dirigente em empresas internacionais do sector da construção.

Referências

Behling, S., Behling, S., Sol Power. La evolución de la arquitectura sostenible. Editorial Gustave Gili, SA, Barcelona, (2002).

Carvalho, L., A envolvente dos edifícios e a iluminação natural. Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Lisboa, (1999).

Santos, A., A iluminação nos edifícios. Uma abordagem no contexto da sustentabilidade e eficiência energética. Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Lisboa, (2009).

Bueno, M., El gran libro de la casa sana, 8ª edición. Ediciones Martinez Roca, S.A., Madrid, (2005).

Ordem dos Arquitectos, A green Vitruvius. Princípios e prácticas de projecto para uma arquitectura sustentável. Ordem dos Arquitectos, Lisboa, (2001).

Coelho, A., Bem-estar e conforto ambiental no interior habitacional. Fichas técnicas sobre habitação e saúde. Direcção-Geral da Saúde, Lisboa, 3.3, (2009).

Kibert, C., Sustainable construction. Green building design and delivery, 2nd ed. John Wiley & Sons, Inc, New Jersey, (2008).

Fornari, A., Zecchini, S. (coord.), Eficiência energética nos edificios residenciais. Deco, Lisboa,

(2008).

Bogo, A., Pereira, F., Claro, A., Método para caracterização do comportamento luminoso de aberturas com elementos de controle solar. Ambiente Construído, Volume nº 9, páginas 109- 124, (2009).

Mills, L., McCluney, R., The benefits of using window shades. ASHRAE Journal, Volume n.º 35, páginas 20-26, (1993).

Olgyay, V., Design with climate. Bioclimatic approach to architectural regionalism. Princeton University Press, New Jersey, (1962?).

Reaes Pinto, A., A indústria da construção e a construção sustentável. Universidades Lusíada, Volume nº 7/8/9, pagina 40, (2006).

Verosol. Vision on sustainability [em linha]. [Eibergen]: Vision by Verosol [referência de 15 de Julho de 2010].

Downloads

Publicado

2013-10-03

Como Citar

Pinto, A. R., & Oliveira, C. (2013). Contributo das soluções de controlo solar para a sustentabilidade do edificado. Revista Arquitectura Lusíada, (2), 95–105. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/ral/article/view/243

Edição

Secção

Artigos