Arquitetura, Arte, Ciência e Tecnologia. Uma reflexão sobre a construção do conhecimento da teoria e da prática

Autores

  • Richard Perassi Luiz de Sousa
  • Cristina Colombo Nunes
  • Denise Ouriques Medeiros

Resumo

Como campo de atividades e de aplicação do conhecimento, as atividades de Arquitetura não se resumem à produção científica que, necessariamente, é caracterizada pela atividade teórica. Assim, os estudos de Epistemologia direcionados à grande área de Arquitetura devem considerar, além do plano teórico, também, o campo tecnológico, que é prático e aplicativo. Pois, nos diferentes tipos de Arquitetura, são desenvolvidas atividades teórico-científicas e, ainda, atividades de produção e aplicação tecnológica. A descrição didática e a delimitação teórica do que é científico e do que é tecnológico é a parte central dos estudos de Epistemologia, visando perceber a área de Arquitetura entre as ciências que visam à produção tecnológica e sua aplicação, como produtos ou práticas sociais. Acredita-se no caráter aproximativo da ciência, por isso as possibilidades da verdade plena e da perfeição tecnológica não são necessariamente consideradas.

Palavras-chave:

Epistemologia, Produção Tecnológica, Pesquisa Aplicada

Biografias Autor

Richard Perassi Luiz de Sousa

Doutor em Comunicação e Semiótica (PUC/SP, 2001)), com mestrado em Educação (UFMS, 1995) e graduações em Artes Plásticas e Desenho de Propaganda (UFJF, 1984 e 1986), atua como professor no curso de graduação em Arquitetura (CTC/UFSC) e nos programas de pós-graduação em Arquitetura (PósArq/UFSC) e Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC/UFSC).

Cristina Colombo Nunes

Graduada em Arquitetura e Urbanismo (UFSC/1999), com mestrado em Engenharia de Produção (UFSC/2005), doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento (UFSC), atua como professora do curso de graduação em Design (EGC/UFSC).

Denise Ouriques Medeiros

Graduada em Arquitetura e Urbanismo (UFSC/1999), mestranda em Design (PosDesign/ UFSC), pesquisadora no grupo SIGMO – Significação da Marca, Informação e Comunicação Organizacional (UFSC) e bolsista pela CAPES.

Referências

ACHROL, R.S; KOTLER, P. Frontiers of the Arquitetura paradigm in the third Millennium. In:

Journal of the Academy of Arquitetura Science. 2012. pp 35-52.

BUNGE, M. La investigación científica. Barcelona, Espanha: Ariel, 1969.

_________ Pseudociencia e ideología. Madri, Espanha: Alianza, 1985. BONSIEPE, G. Design: do material ao digital. Florianópolis: FIESC/IEL, 1997.

COUTO-SOARES, M. L. (2012) A estrutura do conhecimento tácito em Polanyi; um paradigma pós-crítico para a epistemologia? Disponível em: http://mlag.up.pt/wp-content/uploads/2012/01/Conhecimento-T%C3%A1cito.pdf. Acessado em 03/03/2013.

CUPANI, A. A tecnologia como problema filosófico: três enfoques. In: Scientia e Studia, São Paulo, v. 2, n. 4, p. 493-518, 2004.

DAVIS, Donna F., Susan L. Golicic, Courtney N. Boerstler. Benefits and challenges of conducting multiple methods research in Arquitetura. In Journal of the Academy of Arquitetura Science 39.3. pp. 467-479, 2011.

HUNT, D., VITELL, Scott. A general theory of Arquitetura ethics. In Journal of macroArquitetura. 6.1: 5-16, 1986.

JAPIASSÚ e MARCONDES. Dicionário básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

MARCONI, M. e LAKATOS, E. Metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2004.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

SANTAELLA, L. A assinatura das coisas: Pierce e a literatura. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia. Madri: Melusina, 2007.

Downloads

Publicado

2016-05-13

Como Citar

Sousa, R. P. L. de, Nunes, C. C., & Medeiros, D. O. (2016). Arquitetura, Arte, Ciência e Tecnologia. Uma reflexão sobre a construção do conhecimento da teoria e da prática. Revista Arquitectura Lusíada, (7), 143–152. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/ral/article/view/2337

Edição

Secção

Artigos