Construção e declínio do primeiro sistema partidário em Portugal (1820-1910)

Autores

  • Manuel Cardoso Leal Doutorado em História Contemporânea pela FLUL / Investigador integrado no CH-ULisboa

DOI:

https://doi.org/10.34628/rbt2-rm21

Resumo

O artigo identifica os graus por que passou o primeiro sistema partidário em Portugal, conhecido como «rotativismo », na sua construção e declínio, dando especial atenção às interações entre o poder, os partidos e a sociedade, num regime de monarquia com uma sociedade ainda pouco politizada. A construção do sistema foi obra sobretudo da classe política liberal, desde a sua vitória em 1834, em interação com os monarcas e com uma crescente participação da população, seguindo uma dinâmica bipartidária que se consolidou no final da década de 1870. Na fase de declínio, depois de 1890, o monarca prevaleceu sobre os partidos e a sociedade, em contraste com o forte crescimento da população urbana, especialmente em Lisboa, entre a qual o partido republicano foi ganhando grande relevância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Palavras-chave:

Sistemas partidários, Liberalismo, Alternância / Rotativismo, Monarquia Constitucional, Portugal

Publicado

28-01-2022

Como Citar

Leal, M. C. (2022). Construção e declínio do primeiro sistema partidário em Portugal (1820-1910). Polis, 2(4), 21–38. https://doi.org/10.34628/rbt2-rm21

Edição

Secção

Artigos