A evolução da aprendizagem dos filhos dos imigrantes em Portugal: o sacrifício com atitude

Autores

  • José Francisco Lynce Zagalo Pavia Investigador integrado do Centro Lusíada de Investigação em Política Internacional e Segurança (CLIPIS), Universidade Lusíada de Lisboa
  • José Manuel Mata Justo Investigador integrado do Centro Lusíada de Investigação em Política Internacional e Segurança (CLIPIS), Universidade Lusíada de Lisboa

Resumo

A perspetiva intercultural defende uma educação onde a diversidade é incluída e valorizada no currículo e na sala de aula. No seguimento desta reflexão o papel dos docentes, no contexto multicultural, mostra de extrema utilidade a inter-relação entre diferentes culturas.

Este artigo descreve um estudo de caso centrado na integração de alunos do ensino secundário e profissional imigrantes, mais concretamente com origem no Leste da Europa, nas escolas do ensino secundário e profissional no concelhos de Setúbal e Faro. Tendo por base teórica a educação multi-intercultural, analisa a resposta da comunidade escolar à diversidade cultural destes alunos. Foi realizado um questionário a 6000 alunos nos dois concelhos e também uma série de entrevistas a alunos destes níveis de ensino. Tentamos compreender a forma como os alunos interpretam e vivem nessas comunidades em Faro e Setúbal e como utilizam a língua portuguesa na sala de aula, nos seus empregos, e perceber ao mesmo tempo as suas dificuldades. Diligencia-se também esclarecer o modo como os alunos(as) do Leste europeu sentem e vivem a escola em Portugal. Adicionalmente, o artigo tenta identificar quais as suas maiores dificuldades de integração, bem como as perspetivas de futuro. Experimenta-se entender se a esta diversidade é considerada uma mais valia para a educação ou um obstáculo para o processo de integração e de aprendizagem na turma.

Palavras-chave:

Educação, Intercultural, Portugal, Integração, Alunos do Leste da Europa

Referências

CARVALHO, C.M., & [et al.]. (2006). Cooperação Família-Escola: um estudo de situações de famílias integrantes na sua relação com a escola. Lisboa: Observatório das Migrações.

GIDDENS, A. (2004). Sociologia (Vol. 1). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

GRILO, E. M. (2006). Cooperação Família Escola: um estudo de situações de famílias imigrantes na sua relação com a escolar. Lisboa: ACIME, Observatório das Migrações.

Instituto Nacional de Estatística. (2012). A população estrangeira em Portugal – 2011. Lisboa, Portugal: INE.

Instituto Nacional de Estatística. (23 de Março de 2012). População estrangeira em Portugal. Obtido de www.ine.pt: http://ine.pt

JUSTO, J. M. (1 de Junho de 2009). Sucesso Educativo e Expectativas Profissionais dos Alunos Filhos de Imigrantes dos PALOP. Itinerários, Revista de Educação, S. 2, n. 6.

JUSTO, J.M., & [et al.]. (2007). Inclusão e Integração da Segunda Geração de Imigrantes dos PALOP. A perspectiva do sucesso educativo e profissional (Vol. 1). Porto: Fundação da Juventude.

LÚCIO, A.L. (2008). Prefácio. Em A. C. Peixoto (Ed.), Imigrantes em Portugal: que propensão criminal? Ponte Delgada: Edições Macaronésia.

MAGALHÃES, A.I. (2001). Capelas Imperfeitas: Configurações literárias da identidade portuguesa. Em M. I. Ramalho, & A. S. e Ribeiro (Edits.), Entre ser e estar – Raízes, percursos e discursos da identidade (Vol. 1). Porto: Afrontamento.

MATA-JUSTO, J.M. (2016). El éxito escolar en las Enseñanzas Secundaria y Profesional de los hijos de los inmigrantes en Faro ey Setúbal (Vol. 1). Córdoba, Andaluzia, Espanha: Universidade de Córdoba.

NORBERTO, B. (2013). Requiem Per La Scuola? Ripensare il futuro dell’istruzione. Milano, Itália: Il Mulino.

PATRÍCIO, M.F. (2008). Portugal Intercultural: Razão e Projecto. (Vol. IV). Lisboa: Universidade Católica de Lisboa.

PATRÍCIO, M.F. (2010). Portugal: percurso da interculturalidade: desafios à identidade (Vol. IV). Lisboa: ACIDI.

PESSOA, F. (2006). Livro do Desassossego (Vol. 1). Lisboa, Portugal: Planeta de Agostini.

ROCHA, Trindade, M.B. (1993). Perspectivas Sociológicas da Interculturalidade. Análise Social, Vol. 28, n. 123/124, pp. 869-885.

SARAMAGO, J. (24 de Abril de 2008). A consciência dos Sonhos. Diário de Noticias.

TAVARES, M.V. (1998). O Insucesso Escolar e as Minorias Étnicas em Portugal - Uma abordagem antropológica da educação. Lisboa: Instituto Piaget.

TOYNBEE, A. (1970). Estudio de la Historia (Vol. 1). Madrid: Editorial Alianza.

VALA, J. (2003). Processos identitários e gestão da diversidade. Em ACIME (Ed.), I Congresso - Imigração em Portugal. Lisboa: Observatório das Migrações. Diversidade - Cidadania - Integração - 18/19 Dezembro de 2003.

VALENTIM, C.S. (2012). Para falar com as pessoas. Uma análise contextual de apropriações diferenciadas da língua portuguesa por sujeitos migrantes (1 ed., Vol. 1). Lisboa: Alto-Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural.

Downloads

Publicado

2019-01-04

Como Citar

Pavia, J. F. L. Z., & Justo, J. M. M. (2019). A evolução da aprendizagem dos filhos dos imigrantes em Portugal: o sacrifício com atitude. Lusíada. Política Internacional E Segurança, (16), 9–43. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/lpis/article/view/2616

Edição

Secção

Artigos