Turquia e Rússia: reforço mútuo do poder na Europa

Luís Eduardo Marquês Saraiva

Resumo


A Turquia poderá vir a encontrar na Rússia aquilo que lhe tem sido negado pela União Europeia – participação nas grandes decisões regionais que afetam a Europa. Com um processo de adesão à UE a eternizar-se, com o aflorar de um caminho cada vez mais nítido de abandono do tradicional laicismo estatal e com a instabilidade regional a propagar-se rapidamente, a Turquia parece sentir a necessidade de procurar novas alianças de forma a poder redefinir as suas linhas de ação para o futuro, encontrando energias tanto para resolver os seus problemas internos como para se tornar uma potência regional credível. Será que o reforço das relações com a Rússia poderá ajudar a Turquia a garantir o papel de ator regional que ambiciona?

Dessa vontade turca decorrerão as iniciativas de reforço de ligação à Rússia, por esta potência ser um parceiro com interesses claros na região e que usa de muito pragmatismo na defesa da sua política de segurança e defesa. Por outro lado a Rússia tem muito a ganhar com o reforço das relações com a Turquia.Em primeiro lugar, poderá reforçar a certeza de que os estreitos (Bósforo e Dardanelos) manterão a porta aberta para a esquadra russa do Mar Negro. Depois, a ligação à Turquia poderá também tornar mais segura a continuação da utilização de facilidades para os seus navios na Síria, no porto de Tartus. Um terceiro aspeto será a possibilidade de maior intervenção nas rotas energéticas do Sul euroasiático para a Europa. E aqui o interesse não é apenas o controlo da energia com origem na bacia do Mar Cáspio, pois outra vertente muito interessante se começa a delinear – as rotas terrestres de petróleo e gás natural dos países do Golfo Pérsico para os países da União Europeia. Com o aumento da importância destas rotas, a Turquia ganhará visibilidade e relevância, por um lado, e a Rússia terá a oportunidade, através do reforço dos laços com a Turquia, de controlar mais uma forma de abastecimento de energia para a Europa Ocidental, por outro.


Turkey may find in Russia what has been denied by the EU – a participation in the major decisions that affect Europe. While its accession process to EU seems to eternise, and, at the same time, an increasingly clear path is being exposed perhaps leading to the abandonment of the traditional Turk state laicism, together with the fast propagation of regional instability, Turkey seems to feel the need to search for new alliances that will help to redefine its action lines for the future, finding energies both to solve its domestic problems and to become a credible regional power. The reinforcement of the relations with Russia will help Turkey to guarantee its role as regional player that it wants so much?

From that Turkish will, initiatives of reinforcement of the links with Russia may be born, because this power is a major partner having clear interests in the region and using strong pragmatism in the defence of its security and defence policy. In the other hand, Russia has a lot to gain with the reinforcement of the relations with Turkey. First of all, it can reinforce its certainty that the Straits (Bosporus and Dardanelles) will be kept open for the Russian fleet of the Black Sea. Furthermore, the liaison to Turkey may make more secure the continuation of the use of the facilities at the Sirian port of Tartus. A third aspect is the possibility of a greater intervention in the energy routes from the Southern Eurasia to Europe. And here the main interest is not the mere control of energy originated from the Caspian Basin, because other very interesting aspect is being delineated – the land routes of oil and natural gas coming from the Persian Gulf to the countries of the EU. With the increasing importance of these routes, Turkey will gain visibility and relevance, on the one hand, and Russia will have the opportunity, through the strengthening of ties with Turkey to control another form of energy supply to Western Europe, on the other hand.


Palavras-chave / Keywords

Poder duro,Poder brando,Turquia,Rússia.

Hard power,Soft power,Turkey,Rússia.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2017
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt