A beautiful masochistic alliance: confronting a different position between US-Japan Security Alliance and Human Security in Japan

Shoko Oshiro

Resumo


Em 2007, o governo do Japão procurou estabelecer um “belo país” com base na ideia de segurança humana. A ideia de segurança humana está também presente no preâmbulo da constituição japonesa. No entanto, este louvável ideal da constituição não foi aplicado à população que vive na área onde se encontram as bases militares americanas, especialmente em Okinawa, onde presentemente estão concentradas 74% das bases militares dos EUA no Japão. Com a re-entrada de criminosos de guerra na aliança do Japão com o governo dos EUA no período pós-II Guerra Mundial, impactos profundamente prejudiciais são reconhecíveis na sua soberania, e na integridade das vozes progressivas presentes na sociedade japonesa e na sua política. Os direitos humanos têm sido estreitamente interpretados, por influência dos imperativos tradicionais da maioria ou do comum cidadão japonês, ignorando assim os direitos dos cidadãos “atípicos” do Japão. Diante deste contexto, não é clara a forma como o governo japonês tem alcançado a sua visão de que todos os cidadãos japoneses têm direito a uma vida em segurança. Este artigo examina assim o potencial do governo japonês para construir um “belo país” através de um estudo de caso em torno da questão da base militar dos EUA em Okinawa.


In 2007, the Japanese government aimed to establish “a beautiful state” based on the idea of human security. The idea of human security is also set in the Japanese constitution preamble. Nevertheless, this laudable ideal of the constitution was not applicable to people who live in areas where there are US military bases, especially in Okinawa, where about 74% of the US military bases in Japan are presently concentrated. With the re-entry of war criminals into Japan’s post-WWII alliance with the US government, deeply detrimental impacts are recognizable on its sovereignty, the integrity of progressive voices in Japanese society and its polity. Human rights have been narrowly interpreted, influenced by traditional imperatives of the majority or average Japanese, while ignoring the rights of the “atypical” citizens of Japan. Given this context, it is not clear how the Japanese government have achieved its own vision of all Japanese citizens having a secure life. This paper examines the potential of the Japanese government to build “a beautiful state” through a case study of the US military base issue in Okinawa.

 

Palavras-chave / Keywords:

Bases militares americanas, Colonialismo, Direitos humanos, Estado-frágil, Okinawa.

Fragile state, US military bases, Okinawa, Colonialism, Human rights.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2004-2018
Serviços de Informação, Documentação e Internet
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 617 | Fax +351 213 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt