O Mito das Fronteiras em África

Autores

  • Luís Castelo Branco

Resumo

Grande parte das atuais fronteiras africanas tem a sua origem na época colonial, quando as potências europeias dividiram entre si os territórios africanos. Após as independências, a Organização de Unidade Africana, com vista a diminuir a conflitualidade, afirmou que as fronteiras de África eramas herdadas da colonização. Porém, ao longo dos tempos várias têm sido as tentativas, algumas bem-sucedidas, de alterações de fronteiras. Os casos mais recentes foram os da criação da Eritreias, Sudão do Sul e Estado de Azawad.

Palavras-chave:

Colonização, Fronteiras, Conflito, Integração regional, Estados unidos de África

Referências

Branco, Luis Castelo (2012): O Estado Islâmico de Azawad, in Observatório de África, Fundação Portugal África nº37, julho/agosto. http://www.fportugalafrica.pt/Default.aspx?id=75&tabid=149

Branco, Luís Castelo (2010):”As Grandes Potências em África (1960-2010)”, in Janus 2010. Meio Século de Independências Africanas, Universidade Autónoma de Lisboa, pp.134-135. http://janusonline.pt/2010/2010.html

Correia, José (2012): Sudão do Sul-A Longa Espera, in Segurança em África, Revista do Instituto de Defesa Nacional (IDN), nº131, 2012.

Dopcke, Wolfgang (1999): A Vida Longa das Linhas Retas: Cinco Mitos sobre as Fronteiras na África Negra, in Revista Brasileira de Política Internacional, nº 42, 1999, pp.77-109.

Hugon, Philippe (2010): “Cooperation: New Players in Africa“, in International Development Policy Series Africa, Graduate Institute of International and Development Studies, 21 pp. http://poldev.revues.org/138.

Ikome, Francis Nguendi (2012): Africa´s International Borders as Potential Sources of Conflict and Future Threats to Peace and Security, Institute for Security Studies Paper, nº233, 14 pp.

Lousada, Abílio (2010): As Fronteiras Africanas, in Janus 2010. Meio Século de Independências Africanas. Anuário de Relações Internacionais, Público e Universidade Autónoma de Lisboa, pp.124-127.

Observatório de Relações Internacionais (2010): Da Organização de Unidade Africana à União Africana, in Janus 2010. Meio Século de Independências Africanas, Universidade Autónoma de Lisboa, pp.122-123. http://janusonline.pt/2010/2010.html

Meredith, Martin (2006): The State of Africa. A History of Fiffty Years of Independance, The Free Press, 740 pp.

Peace Agreemnets Sudan http://www.usip.org/publications/peace-agreements-sudan

Pires, Raul Braga (2012): Azawad. A “Tuaregolândia “ Independente, in Expresso Online 6 abril. http://expresso.sapo.pt/maghreb?num=10&page=2&npages=

MNLA: Consultation Populaire portant sur l’auto-détermination de l’Azawad, 22/01/2012. http://www.mnlamov.net/projet-politique.html

Resolution AHG/Res. 16 (I), Cairo 21 July 1964. http://www.au.int/en/sites/default/files/ASSEMBLY_EN_17_21_JULY_1964_ASSEMBLY_HEADS_STATE_GOVERNMENT_FIRST_ORDINARY_SESSION.pdf

Taylor, Ian (2010): The International Relations of Sub-Saharan Africa, Continuum International, 176 pp.

Tribunal Internacional de Justiça: Conflito Níger-Mali. http://www.icj-cij.org/docket/files/149/15981.pdf

Wing, Susanna D.(2012): Building a Durable Peace in Mali, in IPRIS Viewpoints, august 2012, Portuguese Institute of International Relations and Security (IPRIS), 2 pp.

Downloads

Publicado

2013-07-18

Como Citar

Branco, L. C. (2013). O Mito das Fronteiras em África. Lusíada. Política Internacional E Segurança, (8), 67–84. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/lpis/article/view/115

Edição

Secção

Artigos