Classificação de tumores de pele através da análise de imagens sem restrições: uma visão geral do processo

Autores

  • Joaquim da Cunha Viana Doutor em Reconhecimento de Padrões (DeMontfort University), Professor da Universidade Lusíada

Resumo

A incidência de melanoma cresce rapidamente em indivíduos de raça branca, depois dos 20 anos de idade. Estatísticas dos EUA mostram cerca de 1 milhão de novos casos todos os anos. Os especialistas, através de um simples exame visual, conseguem com bastante precisão, determinar se uma lesão de pele é ou não maligna. Atualmente, não existem sistemas suficientemente fiáveis para classificação automática de sinais de pele. Este artigo apresenta uma visão geral de um novo método para classificação automática de tumores de pele, através da segmentação das áreas lesionadas e da determinação de relações entre os valores das características distintivas fundamentais. Os valores calculados são depois testados através da aplicação de vários algoritmos de classificação de modo a obter uma classificação para o tumor: maligno ou benigno.

Downloads

Publicado

08-05-2014

Como Citar

Viana, J. da C. (2014). Classificação de tumores de pele através da análise de imagens sem restrições: uma visão geral do processo. Lusíada. Economia E Empresa, (10), 83–92. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/lee/article/view/865

Edição

Secção

Dossier