Das economias em transição aos novos desafios da integração

António Rebelo de Sousa

Resumo


Pretende-se, no presente artigo, analisar a relevância da ajuda ao desenvolvimento e do investimento directo estrangeiro - bem como sintonizar as principais variáveis explicativas da evolução do nível de rendimento - nas economias correspondentes ao que se convencionou designar de "transição".

A partir das contribuições de diversos autores como, por exemplo, Philippe AGHION, SCHANKERMAN, Elisabete FALCETI, KRKOSKA e Daniel GROS, procedeu-se a uma tentativa de caracterização das economias em transição, procurando-se, simultaneamente, dividi-las em três grupos distintos: os PECO's, os países que integram a SEE e os países membros da CEI.

A adopção da metodologia de análise proposta no presente artigo poderá, eventualmente, permitir uma melhor perspectiva da evolução futura da UE, no quadro da economia internacional.

 

The objective of this paper is to analyze the relevance of aid to development and Foreign Direct Investment to those economies which are conventionally designated as transition economies, as well as to harmonize the main explanatory variables of the evolution of income levels.

On the basis of contributions by authors such as, for instance, Philippe AGHION, SCHANKERMAN, Elisabetta FALCETTI, KRKOSKA and Daniel GROS, this paper seeks to characterize transition economies, while at the same time dividing them into three distinct groups: the CCEU, South-eastern European (SEE) countries, and the members of CIS.

The methodology for analysis proposed in this paper should allow for a better insight into the EU future development considered within the framework of the international economy.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica | Universidades Lusíada, 2004-2019
Universidade Lusíada Editora
Rua da Junqueira, 188-198 | 1349-001 Lisboa | Tel. +351 213 611 561 | Fax +351 638 307 | E-mail: revistas@lis.ulusiada.pt