A formação de oficiais de policiais: estudo de caso numa perspetiva custo-benefício

Autores

  • Carina Sousa
  • João de Sousa Mendes

Resumo

O presente estudo, baseado em métodos qualitativos, tem por objectivos, por um lado, compreender se existem diferenças ao nível da aquisição de conhecimentos e de competências dos Oficiais de Polícia da Polícia de Segurança Pública (PSP) que frequentaram o curso de Mestrado Integrado em Ciências Policiais (CMICP) na modalidade de internato em contrapartida com a modalidade de externato e, por outro lado, perceber se os custos associados ao regime de internato justificam a sua manutenção.

Realizou-se um estudo de caso que incidiu nos três cursos do CMICP do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna (ISCPSI), onde se realizaram entrevistas aos dirigentes durante a formação dos três cursos e se aplicaram questionários a uma amostra significativa de formandos desses mesmos cursos que frequentaram, uns no regime de internato e outros no regime de externato.

Como resultado da investigação verifica-se que na perspetiva dos inquiridos não existem diferenças entre os Oficiais de Polícia que concluíram o curso em regime de internato perante os que o concluíram em regime de externato, no que diz respeito à aquisição de conhecimentos e competências adquiridas. Nesta conformidade, verificou-se que não se justifica a manutenção do regime de internato porque não há perda de qualidade da formação recebida e, traduz-se um ganho significativo com os custos suportados com o regime de internato.

Palavras-chave:

Conhecimento, Competências, Custos

Downloads

Publicado

23-03-2016

Como Citar

Sousa, C., & Mendes, J. de S. (2016). A formação de oficiais de policiais: estudo de caso numa perspetiva custo-benefício. Lusíada. Economia E Empresa, (20), 129–156. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/lee/article/view/2309

Edição

Secção

Dissertações e teses