[1]
T. S. Cordeiro, «A utilização da informática na acção social: um rendimento máximo. Garantido?», IS, n. 19, pp. 71–85, Mai. 2014.