Reconfigurações do Serviço Social num contexto de políticas neoliberais

Autores

  • Manuel Menezes

Resumo

Com base numa revisão da literatura produzida recentemente em Portugal, este artigo visa problematizar os impactos da agenda política neoliberal sobre as práticas, a identidade e os valores do Serviço Social português. Esta reflexão permitiu questionar as consequências das reformas encetadas na senda da agenda neoliberal em três dimensões, designadamente quanto ao modo como: (i) a partir de finais da centúria de novecentos os «novos olhares» do Estado e da Política sobre o mundo do bem-estar tiveram repercussões nos contextos de intervenção dos assistentes sociais; (ii) a informatização do social, a influência crescente das TIC propugnou resultados ambíguos no concernente ao saber-fazer profissional; (iii) o mercado de trabalho foi sofrendo mutações ao nível da empregabilidade e da segurança do posto de trabalho. Os resultados obtidos permitiram concluir, em primeiro lugar, que as mutações ocorridas no exercício profissional contribuíram, principalmente a partir dos finais da primeira década do século XXI, para uma aproximação ao modelo tecnocrático matizado pela desconsideração de competências intelectuais tradicionalmente valorizadas no desempenho dos assistentes sociais. Em segundo lugar, a análise da incorporação das TIC no quotidiano profissional permitiu, em simultâneo com os aspetos positivos ao nível da organização, sistematização da informação, concluir que as mesmas congregam um potencial facilitador da mensuração dos produtos das práticas e promotor da formatação dos procedimentos. Por fim, relativamente ao mercado de trabalho, o dealbar do século XXI revelou, por um lado, não só uma diminuição da empregabilidade, mas também um acentuar do emprego precário. Por outro, o aumento da insegurança do posto de trabalho a par com mutações nos públicos-alvo da intervenção, complexificaram significativamente a intervenção podendo vir a repercutir-se negativamente no desempenho dos assistentes sociais.

Palavras-chave:

Neoliberalismo, Estado de Bem-estar, Serviço Social, Austeridade

Biografia Autor

Manuel Menezes

  • Doutor em Serviço Social – ISCTE-IUL
  • Doutor em Ciências da Comunicação – Universidade Nova de Lisboa
  • Mestre em Serviço Social – ISSSL
  • Professor Auxiliar no Instituto Superior Miguel Torga – Coimbra

Referências

AAVV (2013). A Anatomia da Crise: Identificar os Problemas para Construir as Alternativas. Coimbra: CES. URL: http://bit.ly/2ho2LMo

Albuquerque, Cristina (2013). The Study of Social Needs as a Strategic Tool for the Innovation of the Social Care Sector: The Contribution of New Technologies. In Maria Manuela Cruz-Cunha,

Isabel Maria Miranda & Patrícia Gonçalves. Handbook of Research on ICTs for Human-Centered Healthcare and Social Care Services. pp. 347-365 Hershey: Medical Information Science Reference.

Albuquerque, Cristina & Andreia Ruela (2015). Intervenção Social e Processos de Accountability: Como Conciliar Interesses e Expectativas entre Diferentes Stakeholders. Intervenção Social, 42/45.137-155.

Amaro, Maria Inês (2012). Urgências e Emergências do Serviço Social. Fundamentos da Profissão na Contemporaneidade. Lisboa. Universidade Católica Editora.

APSS (2012). A Associação dos Profissionais de Serviço Social Perante as Medidas de Austeridade Agravadas. URL: http://goo.gl/KTWhiy

Branco, Francisco & Inês Amaro (2011). As Práticas do Serviço Social Activo no Âmbito das Novas Tendências da Política Social: uma Perspectiva Portuguesa. Serviço Social & Sociedade, 108, 656-679.

Carvalho, Maria Irene & Carla Pinto (2014). Serviço Social em Portugal: Uma Visão Crítica. In Maria Irene Carvalho & Carla Pinto. Serviço Social: Teorias e Práticas. pp. 3-26. Lisboa: Pactor.

Carvalho, Maria Irene & Carla Pinto (2015). Desafios do Serviço Social na Atualidade em Portugal. Serviço Social & Sociedade, 121, 66-94.

Dominelli, Lena (1999). Neo-liberalism, Social Exclusion and Welfare Clients in a Global Economy. International Journal of Social Welfare, 8, 1, 14-22.

Faleiros, Vicente de Paula (2001). Desafios do Serviço Social na Era da Globalização. In Helena Mouro & Dulce Simões. 100 Anos de Serviço Social. pp. 313-349. Coimbra: Quarteto Editora.

Faleiros, Vicente de Paula (2014). O Serviço Social no Cotidiano: Fios e Desafios. Serviço Social & Sociedade, 120, 706-722.

Faria, Natália (2014). Há Cada Vez Mais Famílias sem RSI por Causa de Erros e Atrasos nos Serviços. Público, 11/03. URL: http://goo.gl/GAEb4f

Ferreira, Jorge (2014). Serviço Social: Profissão e Ciência. Contributos para o Debate Científico nas Ciências Sociais. Cuadernos de Trabajo Social, 27, 2, 329-341.

Ferreira, Jorge (2014a). El Trabajo Social en Portugal: Situación Actual y Desafíos. In Enrique Pastor Seller, Maria Assunción Martínez-Román (coord.). Trabajo Social en el Siglo XXI. Una Perspectiva Internacional Comparada. pp. 177-189. Madrid: Editorial Grupo 5.

Granja, Berta (2014). Contributos para a Análise das Formas Identitárias dos Assistentes Sociais. In Maria Irene Carvalho & Carla Pinto. Serviço Social: Teorias e Práticas. pp. 57-83. Lisboa: Pactor.

Iamamoto, Marilda Villela & Raul de Carvalho (1986). Relações Sociais e Serviço Social no Brasil. Esboço de uma Interpretação Histórico-metodológica. São Paulo: Cortez Editora.

Ioakimidis, Vasilios, Sandos, Clara Cruz & Ines Martinez Herrero (2014). Reconceptualizing Social Work in Times of Crisis: An Examination of the Cases of Greece, Spain and Portugal. International Social Work, 57, 4, 285-300.

Karger, Howard (2014). The Bitter Pill: Austerity, Debt, and the Attack on Europe’s Welfare States. Journal of Sociology & Social Welfare, XLI, 2. URL: http://bit.ly/2fO9jCB

Magone, José M. (2011). The Difficult Transformation of State and Public Administration in Portugal. Europeanization and the Persistence of Neo-Patrimonialism. Public Administration, 89, 3, 756-782.

Mamede, Ricardo Paes (2015). O que Fazer com Este País. Do Pessimismo da Razão ao Optimismo da Vontade. Lisboa: Marcador Editora.

Martinho, Edmundo (2015). Ser Assistente Social na Nova Era da Precariedade. Conferência Serviço Social da Nova Definição à Agenda do Século XXI. Lisboa, ISCTE-IUL (policopiado).

Martins, Alcina (2002). Serviço Social Crítico em Tempos de Ditadura. CPHITS, URL: http://goo.gl/BHgUPW

Martins, Alcina & Rosa Tomé (2008). O Estado Actual da Formação em Serviço Social em Portugal: Problemas e Desafios à Organização Profissional. In 19.ª Conferência Mundial de Serviço Social. Salvador, Bahia. URL: http://goo.gl/cEriFl

Martins, Alcina, Tomé, Rosa & Virgínia Alves Carrara (2015). A Emigração dos Assistentes Sociais Portugueses: Faces do Trabalho e do Desemprego em Tempos de Crise e Austeridade. Serviço Social & Sociedade, 121, 95-124.

Menezes, Manuel (2001). As Práticas de Cidadania num Poder Local Comprometido com a Comunidade. Coimbra: Quarteto.

Netto, José Paulo (2013). Assistencialismo e Regressividade Profissional no Serviço Social. Intervenção Social, 41, 11-35.

Núncio, Maria José (2014). Social Work: Professional Challenges in Times of Crisis. Conference: The Welfare State in Portugal in the Age of Austerity. Lisboa, ISEG. URL: http://goo.gl/xhMIzM

Núncio, Maria José (2014a). Serviço Social: A Ética em Contextos de Mudança. In Maria Irene Carvalho & Carla Pinto. Serviço Social: Teorias e Práticas. pp. 273-288. Lisboa: Pactor.

Payne, Malcolm (2002). Teoria do Trabalho Social Moderno. Coimbra: Quarteto.

Pena, Maria João (2014). A Relação Profissional no Quadro da Intervenção do Assistente Social. Azarbe, 3, 133-138.

Pereira, Elisabete Pinto (2011). Políticas de Protecção Social em Portugal: Espelho da Desmontagem do Estado Social. Tese de Mestrado em Serviço Social. Coimbra, ISMT.

Rodrigues, Fernanda (2008). Novas Políticas Sociais Novas: Entre Belas e Senãos. Locus Soci@l, 1, 90-94.

Rodrigues, Maria de Lurdes & Pedro Adão e Silva (2015). A Execução do Memorando de Entendimento. In Maria de Lurdes Rodrigues & Pedro Adão e Silva (Org.). Governar com a Troika: Políticas Públicas em Tempo de Austeridade. pp. 27-46. Coimbra: Almedina.

Silva, Pedro Adão e (2013). E Agora? A Crise do Euro. As Falsas Reformas. O Futuro de Portugal. Lisboa: Clube do Autor.

Spolander; Gary & Linda Martin (2015). Life in Time of Neoliberarism: Social Work in England. Social Work Around the World: Colors and Shapes in a Complex Mosaic, Visioni LatinoAmericane, 13, 26-44.

Zartaloudis, Sotirios (2014). The Impact of the Fiscal Crisis on Greek and Portuguese Welfare States: Retrenchment before the Catchup?. Social Policy & Administration, 48, 4, 430-449.

Publicado

2019-12-16

Como Citar

Menezes, M. (2019). Reconfigurações do Serviço Social num contexto de políticas neoliberais. Intervenção Social, (53-54), 9–34. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/is/article/view/2909

Edição

Secção

Artigos