Formação em serviço social: contextos e processos de aprendizagem da cidadania

Autores

  • Luísa C. Pinto
  • Berta Pereira Granja

Resumo

Assistiu-se, em Portugal, logo após o 25 de Abril de 1974, a introdução de profundas mudanças na Formação em Serviço Social, mudanças que implicaram todos os que mais diretamente contribuíram para a formação dos Assistentes Sociais. Do amplo debate a data iniciado e de realçar o consenso gerado em torno do discurso que, reconhecendo o pragmatismo que marcava as práticas do Assistente Social, preconizava o abandono de um modelo de cultura profissional que dissociava ciência e intervenção. A crítica ao pragmatismo que há muito tempo imperava no Serviço Social colocou em primeiro plano não só a questão dos problemas de conhecimento, com destaque para os instrumentos teóricos indispensáveis a compreensão dos processos sociais como, também, a dos problemas relacionados com a produção da mundana social em situações reais.

Downloads

Publicado

2014-06-20

Como Citar

Pinto, L. C., & Granja, B. P. (2014). Formação em serviço social: contextos e processos de aprendizagem da cidadania. Intervenção Social, (13/14), 75–84. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/is/article/view/1318

Edição

Secção

Dossier: Serviço Social e Direitos Humanos