Escolas de serviço social: funcionamento democrático e aprendizagem da cidadania

Autores

  • Maria Aurora Matias

Resumo

Na sua prática os Assistentes Sociais lidam essencialmente com indivíduos, famílias, grupos e populeões que sofrem de tais carências que os impedem de terem acesso a educação, à saúde, a segurança social e ao trabalho c consequentemente estão impedidos de praticar os direitos civis e políticos no sentido dos seus interesses. Os Assistentes Sociais atuam sobre todas as necessidades dos indivíduos que vivem em situação de exclusão e pobreza. No seu espaço de intervenção, atravessado por varias contradições, os excluídos procuram conquistar e apropriar- se de bens e sérvios, e obter mais poder. Por sua vez os Assistentes Sociais procuram exercer uma mediação entre a populeão e as instituições/organizações, fornecedoras de bens e serviços, procurando articular as necessidades com o acesso a condiam de usuário dos sérvios. As condições em que se efetua a mediação e o sentido que lhe e atribuído poderão contribuir para a aquisição da cidadania, ou, pelo contrario, transformar os indivíduos em usuários servis de bens e serviços, incluindo do próprio Serviço Social. O sentido e o resultado da prática dos Assistentes Sociais dependem de condições externas a profissão e de condições internas. Entre estas, considero de particular importância a formação que os futuros profissionais adquirem nas escolas por ser aí que formam ou fundamentam o seu quadro de referencias te6rico!ideol6gico e aprendem o ser e o fazer profissional.

Downloads

Publicado

2014-06-19

Como Citar

Matias, M. A. (2014). Escolas de serviço social: funcionamento democrático e aprendizagem da cidadania. Intervenção Social, (13/14), 65–74. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/is/article/view/1317

Edição

Secção

Dossier: Serviço Social e Direitos Humanos