A estigmatização do trabalho sexual: contributos de Michel Foucault na análise do poder e controlo sobre a sexualidade

Autores

  • Nelson Alves Ramalho

Resumo

O presente artigo aborda a forma como o trabalho sexual tem sido visto e olhado pela sociedade ao longo da história da humanidade traduzindo-se, actualmente, numa estigmatização da actividade e de quem o realiza. Através da teoria social contemporânea, irá debater-se os pressupostos ideológicos de Michel Foucault na explicitação do poder e controlo da sexualidade e a forma como ela foi sendo alvo de uma construção sócio-moral e, consequentemente, política. De forma a criar estratégias de resistência ao poder e representações institucionalizadas, os trabalhadores do sexo têm realizado esforços colectivos com vista à defesa de direitos e a um maior reconhecimento social.

Palavras-chave:

Sexualidade, Trabalho Sexual, Poder/Controlo, Estigmatização, Michel Foucault

Downloads

Publicado

2014-06-05

Como Citar

Ramalho, N. A. (2014). A estigmatização do trabalho sexual: contributos de Michel Foucault na análise do poder e controlo sobre a sexualidade. Intervenção Social, (39), 165–185. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/is/article/view/1191

Edição

Secção

Artigos