Pensamento e acção inclusivos. Comunicação intercultural e gestão da diversidade na prática do trabalho social

Autores

  • Edwin Hoffman

Resumo

O número cada vez mais alargado de grupos étnicos existentes nas diferentes sociedades europeias coloca aos trabalhadores sociais e suas chefias a seguinte questão: que teoria e que instrumentos podem ser desenvolvidos para a prática do trabalho social e sua supervisão, nos quais a noção de 'etnicidade' esteja profundamente enraizada? A resposta a esta questão deve ter um caracter dinâmico: o reconhecimento de que as pessoas silo capazes de ser actoras na formação da etnicidade como um aspecto das suas identidades em permanente mudança. O artigo inicia-se com uma breve descrição do contexto holandês e prossegue com uma análise dos riscos das abordagens culturalistas e anti-racistas. Em seguida, proponho um modelo inclusivo de Gestão da Diversidade e um modelo inclusivo de Comunicação Intercultural. For fim, o modelo TOPOI é apresentado como um passível 'instrumento de análise' para detectar as diftrenrças e mal-entendidos culturais que causam ruido na comunicação.

Downloads

Publicado

2014-06-04

Como Citar

Hoffman, E. (2014). Pensamento e acção inclusivos. Comunicação intercultural e gestão da diversidade na prática do trabalho social. Intervenção Social, (29), 195–217. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/is/article/view/1156

Edição

Secção

Artigos