Etarização e intervenção social

Autores

  • Micael Pereira

Resumo

''Etarizar" é considerar a idade como sendo o atributo fundamental que só por si define o critério de divisão do trabalho social. Por muito diferenciadora que a idade seja, esta perspectiva pode considerar-se como redutora e unidimensional. É interiorizada desde os primeiros anos de vida e torna-se paradigmática a partir do sistema escolar, apesar deste sistema procurar reduzir as suas disfunções. Face às mudanças recentes e às perspectivas da organização social a etarização, tornam-se cada vez mais disfuncional nomeadamente a partir da "idade central". A intervenção social aplica frequentemente modelos fortemente "etarizados ", estratégia esta que conduz ao paradoxo de "pretender" "incluir", "excluindo”, Em todas as "idades" da vida há que reconverter perspectivas de intervenção, não só aproximando idades e gerações, como desenvolvendo estratégias de enriquecimento pessoal nos momentos de "charneira" de modo a multiplicar as oportunidades de renovar avida. Há que aprender a vencer os "estigmas etários".

Downloads

Publicado

2014-06-02

Como Citar

Pereira, M. (2014). Etarização e intervenção social. Intervenção Social, (20), 11–36. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/is/article/view/1091

Edição

Secção

Dossier: gerações e idades da vida