O associativismo no tempo da globalização: voluntariado e cidadania democrática

Autores

  • Ernesto Fernandes

Resumo

Com este texto, em Ano internacional do Voluntariado, pretendo partilhar um olhar critico e propositivo, que fui construindo entre a docência e estudo na área das ciências sociais/serviço social e as práticas de voluntariado, no quadro do movimento associativo de natureza sociocultural. Representa um re-olhar as práticas e concepções de cidadania, traduz idas em modelos paradigmáticos, o Liberal e o democrático. Recoloca a questão do voluntariado, encorado em éticas de piedade ou de solidariedade e relacionado com as práticas e concepções de associativismo: tradicional, pragmática e emergente- associações de tipo novo. Questiona a globalização como era da sobrevivência desigual e do pensamento único, para propor o direito à utopia - esperança e perspectivar a intervenção social, cívico-voluntária elou profissional, como actividade cientifico-técnica e convergentemente ético-política e estética, que aposta na cidadania democrática. Uma cidadania, civil e social, não discriminatória e sem fronteiras, para garantir pousada e sentido à vida das pessoas e dos povos, sentido que abraça também a natureza e o futuro.

Downloads

Publicado

2014-05-30

Como Citar

Fernandes, E. (2014). O associativismo no tempo da globalização: voluntariado e cidadania democrática. Intervenção Social, (27), 159–190. Obtido de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/is/article/view/1079

Edição

Secção

Artigos