Planeamento e gestão de massas de água subterrânea no Alentejo e Algarve – abordagens inovadoras e necessidades subsequentes de aprofundamento do conhecimento.

Pedro Bettencourt, Sónia Alcobia, José Paulo Monteiro, António Chambel, Luís Nunes, Ricardo Martins

Resumo


As massas de águas subterrâneas das regiões hidrográficas do Alentejo e do Algarve assumem um papel de significativa importância, quer no abastecimento público, quer para assegurar as necessidades de um diversificado conjunto de atividades económicas. No âmbito dos 1.os Planos de Gestão de Bacias Hidrográficas foi avaliado o seu estado quantitativo e químico e propostas medidas destinadas à sua proteção e preservação. A avaliação do estado foi suportada por uma análise aprofundada das pressões que poderão contribuir para o não cumprimento dos objetivos ambientais das massas de água, afetar os ecossistemas aquáticos e terrestres que delas dependem ou condicionar a sua utilização para diferentes fins. Os trabalhos desenvolvidos compreenderam assim uma importante etapa de aprofundamento do conhecimento de que se torna necessário tirar partido e dar continuidade, destacando-se a melhoria da estimativa dos consumos de água e as análises inovadoras utilizadas na avaliação das relações massas de água/ecossistemas.


Palavras chave

Água subterrânea, Estado quantitativo e químico, Medidas, Conhecimento.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Fundación Nueva Cultura del Agua, 2013
Fundação Minerva - Cultura - Ensino e Investigação Científica / Universidades Lusíada, 2017
C/ Pedro Cerbuna, 12 - 4.º dcha - 50009 Zaragoza (Espanha) | Rua da Junqueira, 188-198 - 1349-001 Lisboa (Portugal) | E-mail: congresoiberico@fnca.eu